“Deus foi me preparando para o meu chamado desde que me converti”

10653365_10204034794445657_5562264848467183163_nEnvolvida em missões desde que se converteu, em 1991, Sandra Silva Alves logo se apaixonou pelas histórias missionárias na antiga União Soviética e África. Segundo Sandra, se algum pastor que estivesse falando sobre o assunto fizesse apelos, “quantas vezes ele fizesse eu estava lá na frente da igreja”, relata.

A missionária acredita que missões começa onde a pessoa está. “O primeiro lugar onde fiz missões foi na minha cidade, em praças e bairros carentes”, ela complementa dizendo que seu primeiro contato transcultural foi na Bolívia, onde trabalhou numa comunidade onde era despejado o lixão da cidade onde ficou, depois disso teve uma experiência no Uruguai.14682_10205488196859809_4229018650757928888_n

Ao retornar para o Brasil, Sandra fez um curso de missiologia em Minas Gerais, e “foi durante esse tempo que Deus abriu as portas para eu ir para a África do Sul, onde fiz a Escola de Inglês, a ETED (Escola de Treinamento e Discipulado) e o curso de aperfeiçoamento para ser professora de inglês”. Lá a missionária passou quatro anos.

A partir desse treinamento na África do Sul, Sandra ficou durante um ano na Romênia, onde serviu como professora de inglês.

Quanto à adaptação em outro país, Sandra relata que é uma experiência muito difícil no início e que o choque é muito grande. Dentre as dificuldades que passou, ela destaca a comida, a cultura mas, principalmente, a língua, “e por ser solteira, eu não tinha ninguém ao meu lado, pensei algumas vezes em desistir”, diz.

11351335_10205798078086646_683961422922844004_nAtualmente a missionária retornou para Brasil, “eu tive uma grande surpresa, pois perdi o sustento da minha igreja e estou realmente lançada nos braços de Deus”, conta. No momento está mobilizando igrejas, trabalhando com jovens em acampamentos, buscando levantar seu sustento para retornar ao campo missionário. De acordo com Sandra, tem sido um tempo desafiador, muito prazeroso, de dependência de Deus, de conhecer pessoas novas, que acreditam em missões e que querem se envolver com isso.

Muitas foram as experiências que a missionária relatou como marcantes em sua trajetória, mas ela destaca duas. A primeira foi em 2012 quando na África do Sul passou muito mal e ficou seis dias na U.T.I. do hospital. Depois disso, ao se consultar, uma médica olhou seu prontuário e a diagnosticou com câncer. “Eu fiquei desesperada, e todos da base onde eu morava oraram por mim. Eu chorava muito, então peguei a Bíblia e orei para que Deus me mostrasse a vontade dEle, e Ele me deu uma palavra em Provérbios 9:10 e 11:

‘O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência.11224059_10205798072926517_8955132116418405086_n

Porque por mim se multiplicam os teus dias, e anos de vida se te acrescentarão.’ ” Para Sandra foi uma resposta de Deus dizendo que ela não iria morrer daquela vez. Assim, ela fez um novo exame e, ao analisar os resultados, a médica disse “Você pode ir embora, você não tem nada”.

Outra experiência que Sandra destaca foi quando conheceu um menino com AIDS no pratico da ETED, em uma cidade da África do Sul. Segundo ela, a mãe desse menino já tinha morrido por causa da doença e ele era criado por sua tia. “Ele tinha quatro anos, mas era raquítico, não andava, tinha os dentes podres por causa da forte medicação”, e a missionária destaca que quando o menino a via, ele sorria e com as outras pessoas ele era introspectivo.

Um dia antes de a equipe ir embora do prático para a base missionária, a tia daquele menino pediu que Sandra orasse por ele, “acho que eu nunca orei com tanto fervor quanto naquele dia, eu pedia que Deus o curasse, eu queria muito ver algo naquele instante, mas Deus me confortou com sua soberania sobre todas as coisas, mas eu tenho o desejo de ter notícias desse menino, saber que ele foi curado e que Deus tem o usado”, diz.

Como estímulo a quem deseja abraçar o chamado missionário, Sandra diz que “é preciso florescer onde estiver plantado, seja no Brasil, seja fora”, ela complementa afirmando que é necessário que a pessoa se apegue a Deus, porque é Ele quem faz a missão. “O estímulo maior é entender o que Deus quer fazer na sua vida e através dela no Campo.”

Novos Desafios:1484687_10205377418490419_4020918956118574774_n

  • Sustento

  • Retorno ao Campo

  • Seguro saúde

  • passagem

Pedidos de Oração:

– Que Deus levante mantenedores para o meu ministério para que eu retorne ao Campo

– Definição do que Deus quer para mim, pro lugar onde eu devo ir

– Pela minha família, que Deus continue abençoando cada um deles

– Pela minha saúde

– Por esse tempo de mobilização nas igrejas, que as igrejas entendam missões e entendam o meu chamado.