Religiosidade é diferente de cristianismo

Devocional – dia 04/02/2016

Tiago 1

Versículo chave:

“A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é está; visitar os órfãos e as viúvas em suas tribulações, e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.”

Tiago 1:27

Enquanto a nossa religião for baseada em nós mesmos e no nosso bem estar, viveremos uma religião vã e egoísta.

Religiosidade é diferente de cristianismo. Viver o verdadeiro e puro evangelho de Cristo é ter uma vida desprovida deegoísmos, é priorizar o outro sem se contaminar com o mundo.

Ele é por nós

Devocional – dia 03/02/2016

Salmos 43

Versículo chave:

“Não temas, pois, porque sou contigo; trarei a tua descendência desde o Oriente e a ajuntarei desde o Ocidente.”

Salmos 43:5

 

Se cremos que Deus é por nós, não temos motivos para nos abater e nos preocupar.

Nosso alvo precisa ser: ESPERAR EM DEUS, pois Ele tem sempre o melhor reservado a nós e, ainda que não consigamos enxergar esse melhor, podemos ter esperança nele.

O Senhor é fiel e não nos desampara, mesmos com nossas falhas e pecados! Ele insiste em nós e em nossa descendência, para que nenhum se perca, para que nossa família seja bendita e cresça conforme a Sua perfeita vontade!

O Senhor age enquanto eu clamo

Devocional – dia 02/02/2016

Salmos 2

Versículo chave:

“Pede-me, e eu te darei as nações por herança e as extremidades da terra por tua possessão”

Salmos 2:8

Servir a Deus e obedecê-lo pode até exigir muita renúncia e difíceis transformações, mas quem se dedica e se entrega totalmente a Ele pode ter a certeza de que serve a um Deus que cumpre todas as suas promessas – Ele nos dará as nações, e todas as extremidades da terra.

Basta pedir, e para pedir é preciso ter fé, a fé que Ele mesmo faz brotar em nosso coração, somente por isso ela se torna possível dentro de nós.

Quanto amor! Quanta misericórdia!

Deixar-se relacionar e estreitar os laços de intimidade com o Senhor é reconhecer que Ele age dentro de mim primeiro para alcançar aquilo e aqueles que eu não consigo alcançar sem o apoio do Seu braço.

Temer ao Senhor é amar o que Ele ama

Devocional – dia 01/02/2016

Salmos 1

Versículo chave:

“Essas pessoas são como árvores
que crescem na beira de um riacho;
elas dão frutas no tempo certo,
e as suas folhas não murcham.
Assim também tudo o que
essas pessoas fazem dá certo.”
Salmos 1:3

O crescimento espiritual do cristão está diretamente ligado a sua intimidade com Jesus. Aquele que segue a Jesus é mais bem resolvido, consegue amar aquele que é diferente e, assim, produzir bons frutos e ser bem sucedido.

Só consegue seguir a Jesus aquele que é capaz de se entregar por completo a Ele. É impossível ter uma vida frustrada se ela é regida pelo Pai do Céu, pois Ele conhece nossas fraquezas e é capaz de nos livrar delas; Ele enxerga nossos problemas e nos dá direção para passarmos por eles; Ele sabe que somos falhos, por isso não deixa de manifestar sua misericórdia.

Somos, então, árvores que crescem na beira de um riacho, quando servimos de refrigério às pessoas que estão ao nosso redor.

Produzimos frutas quando levamos o amor de Jesus ao próximo.

Nossas frutas não murcham quando insistimos e persistimos em pregar o evangelho com o nosso exemplo, servindo de reflexo de Jesus aos outros.

E assim se cumpre a promessa do Senhor: Tudo o que fizermos dará certo!

“Deus foi me preparando para o meu chamado desde que me converti”

10653365_10204034794445657_5562264848467183163_nEnvolvida em missões desde que se converteu, em 1991, Sandra Silva Alves logo se apaixonou pelas histórias missionárias na antiga União Soviética e África. Segundo Sandra, se algum pastor que estivesse falando sobre o assunto fizesse apelos, “quantas vezes ele fizesse eu estava lá na frente da igreja”, relata.

A missionária acredita que missões começa onde a pessoa está. “O primeiro lugar onde fiz missões foi na minha cidade, em praças e bairros carentes”, ela complementa dizendo que seu primeiro contato transcultural foi na Bolívia, onde trabalhou numa comunidade onde era despejado o lixão da cidade onde ficou, depois disso teve uma experiência no Uruguai.14682_10205488196859809_4229018650757928888_n

Ao retornar para o Brasil, Sandra fez um curso de missiologia em Minas Gerais, e “foi durante esse tempo que Deus abriu as portas para eu ir para a África do Sul, onde fiz a Escola de Inglês, a ETED (Escola de Treinamento e Discipulado) e o curso de aperfeiçoamento para ser professora de inglês”. Lá a missionária passou quatro anos.

A partir desse treinamento na África do Sul, Sandra ficou durante um ano na Romênia, onde serviu como professora de inglês.

Quanto à adaptação em outro país, Sandra relata que é uma experiência muito difícil no início e que o choque é muito grande. Dentre as dificuldades que passou, ela destaca a comida, a cultura mas, principalmente, a língua, “e por ser solteira, eu não tinha ninguém ao meu lado, pensei algumas vezes em desistir”, diz.

11351335_10205798078086646_683961422922844004_nAtualmente a missionária retornou para Brasil, “eu tive uma grande surpresa, pois perdi o sustento da minha igreja e estou realmente lançada nos braços de Deus”, conta. No momento está mobilizando igrejas, trabalhando com jovens em acampamentos, buscando levantar seu sustento para retornar ao campo missionário. De acordo com Sandra, tem sido um tempo desafiador, muito prazeroso, de dependência de Deus, de conhecer pessoas novas, que acreditam em missões e que querem se envolver com isso.

Muitas foram as experiências que a missionária relatou como marcantes em sua trajetória, mas ela destaca duas. A primeira foi em 2012 quando na África do Sul passou muito mal e ficou seis dias na U.T.I. do hospital. Depois disso, ao se consultar, uma médica olhou seu prontuário e a diagnosticou com câncer. “Eu fiquei desesperada, e todos da base onde eu morava oraram por mim. Eu chorava muito, então peguei a Bíblia e orei para que Deus me mostrasse a vontade dEle, e Ele me deu uma palavra em Provérbios 9:10 e 11:

‘O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência.11224059_10205798072926517_8955132116418405086_n

Porque por mim se multiplicam os teus dias, e anos de vida se te acrescentarão.’ ” Para Sandra foi uma resposta de Deus dizendo que ela não iria morrer daquela vez. Assim, ela fez um novo exame e, ao analisar os resultados, a médica disse “Você pode ir embora, você não tem nada”.

Outra experiência que Sandra destaca foi quando conheceu um menino com AIDS no pratico da ETED, em uma cidade da África do Sul. Segundo ela, a mãe desse menino já tinha morrido por causa da doença e ele era criado por sua tia. “Ele tinha quatro anos, mas era raquítico, não andava, tinha os dentes podres por causa da forte medicação”, e a missionária destaca que quando o menino a via, ele sorria e com as outras pessoas ele era introspectivo.

Um dia antes de a equipe ir embora do prático para a base missionária, a tia daquele menino pediu que Sandra orasse por ele, “acho que eu nunca orei com tanto fervor quanto naquele dia, eu pedia que Deus o curasse, eu queria muito ver algo naquele instante, mas Deus me confortou com sua soberania sobre todas as coisas, mas eu tenho o desejo de ter notícias desse menino, saber que ele foi curado e que Deus tem o usado”, diz.

Como estímulo a quem deseja abraçar o chamado missionário, Sandra diz que “é preciso florescer onde estiver plantado, seja no Brasil, seja fora”, ela complementa afirmando que é necessário que a pessoa se apegue a Deus, porque é Ele quem faz a missão. “O estímulo maior é entender o que Deus quer fazer na sua vida e através dela no Campo.”

Novos Desafios:1484687_10205377418490419_4020918956118574774_n

  • Sustento

  • Retorno ao Campo

  • Seguro saúde

  • passagem

Pedidos de Oração:

– Que Deus levante mantenedores para o meu ministério para que eu retorne ao Campo

– Definição do que Deus quer para mim, pro lugar onde eu devo ir

– Pela minha família, que Deus continue abençoando cada um deles

– Pela minha saúde

– Por esse tempo de mobilização nas igrejas, que as igrejas entendam missões e entendam o meu chamado.

Cooperando com a Missão de Deus

Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós”. (1 Cor 3.9).

Uma das mais preciosas verdades que podemos conhecer é a que Deus está em Missão. O Senhor revela a Sua glória em toda criação a fim de que Seu Nome seja Exaltado (Sl 19). Todas as coisas foram criadas para o Seu louvor (Ef 1.12 ).

A missão é a Glória do Seu Nome e nós temos a honra de cooperar com esta missão testemunhando as Boas notícias da salvação em Jesus. Obedecer a Deus, servir com os dons e talentos, buscar fazer a Sua vontade, cultivar o novo mandamento é cumprir a Missão.

Jesus nos ensinou a oração que santifica o Nome do Senhor, “pois dEle é o Reino, o poder e a glória.” Todo discípulo é um missionário nos termos de João 15, “chamados para dar fruto” a fim de que o Pai seja glorificado. Em nossa resistência intelectual/carnal, fugimos e arrumamos desculpas para não nos comprometermos com a missão, mas se somos do Senhor e buscarmos intimidade com Ele ouviremos Sua voz.

Cooperamos com a Missão de Deus das seguintes maneiras:

  1. Uma vida missional – Consciência de que tudo que fazemos deve ser para Sua glória (1 Cor 10.31). Cultivar vida familiar cristocêntrica, trabalhar, santificar-se, se relacionar, etc. buscando sempre a Glória de Deus.

  2. Cooperando com a Igreja Local – Aliança e comprometimento com a Congregação, estar em toda reunião possível, servindo, testemunhando, adorando como corpo de Cristo local. Reunir é testemunhar.

  3. Se envolvendo com Projetos missionários locais – Perceber a agenda de Deus na congregação e cidade e cooperar, ir, servir com seus dons, talentos e força.

  4. Vida de Intercessão missional – Clamar continuamente pela salvação da família, cidade, nação e povos não alcançados. Ter propósitos específicos com o avanço do Evangelho do Reino.

  5. Contribuição financeira – Continuamente semear na obra missionária local e além das fronteiras.

  6. Viagens missionárias – Estar à disposição do Senhor para participar e cooperar com a missão de Deus além das fronteiras municipais e nacionais.

Pr. Alex Maciel
Campos dos Goytacases – RJ

317385_207598709309689_1804876616_n

“O que nos segura no campo missionário não é o amor pelo país ou pelo povo, é o amor e a fé que temos no Deus que nos amou primeiro e morreu em nosso favor”

10363583_693681287391069_7874684843733493062_n

Thainá, 28, está envolvida em missões desde os 13 anos trabalhando como intérprete de LIBRAS em sua igreja, mas seu chamado para missões mundiais foi confirmado aos 15 anos de idade em um Congresso de Surdos e Ouvintes em Curitiba -PR.

A missionária relata que por várias vezes foi “tentata” a não começar sua graduação e depois a não terminá-la, para seguir em missões, mas ao buscar a orientação de Deus e da família, entendeu que deveria concluir os estudos e que isso seria útil em seu ministério.

10649577_512330625578290_4429406371554293482_nEnquanto cursava Fisioterapia, participava em suas férias de projetos missionários, como o TransAmapá (organizada pela JMN – Junta de Missões Nacionais), Asas do Socorro em Manaus (com a equipe JUBAC – Juventude Batista de Cotia) e Tenda da Esperança.

Depois de formada, trabalhou um ano e meio na área, mas sentia a necessidade de se aprofundar mais em estudos sobre a Palavra de Deus, investindo em seu ministério. Então, em 2011 se matriculou no CIEM (Centro Integrado de Educação e Missões), que foi direcionado ao discipulado, evangelismo e treinamento de surdos em São Paulo.

Roberto é formado em Letras-Árabe pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e trabalha como professor, “durante minha infância havia o desejo de trabalhar como jornalista, daí o interesse pela língua árabe”, explica o missionário.

Em 2005, Roberto se mudou de Juíz de Fora (sua cidade natal) para o Rio de Janeiro, onde iniciou seu curso de árabe. “Durante o curso tive um encontro com Jesus depois de ter feito evangelismo e orado por uma budista. Na oração, entendi que sou pecador como àquela menina. Hoje estou trabalhando para que outras pessoas, principalmente àquelas que têm origem árabe ou seguem a fé Islã, também tenham a mesma oportunidade de conhecê-lo”, relata.

A partir de 2008, quando abriu seu coração a Jesus, Roberto diz que ouvia um constante chamado à missões, ele então teve a oportunidade de evangelizar um libanês, que se entregou ao Senhor. Seu preparo como missionário começou em 2009, por meio de viagens ao interior de Minas Gerais, nas cidades de Mendes Pimentel e Elói Mendes. Em janeiro de 2011, decidido a se envolver mais, Roberto pediu demissão do emprego que tinha para fazer um curso prático de evangelismo a árabes e muçulmanos.

Thainá e Roberto se conheceram no campo missionário, numa jornada que passou por três países da Europa: Portugal, Albânia e macedônia. Depois desse tempo, ao retornarem para o Brasil, começaram a se comunicar via rede social e telefone, “estávamos passando por lutas parecidas, então combinamos de um orar pelo outro para vencê-las”, relatam.

1526306_10152119205214726_1682962119_nAlgum tempo depois da experiência dos dois na Europa, de acordo com o casal, Roberto foi até São Paulo, onde Thainá mora, para conhecer alguns lugares onde fica o povo árabe (foco do ministério de Roberto). Foi a partir das intercessões que um fazia pelo outro e desse reencontro, que começaram a se aproximar sentimentalmente. “Então, decidimos iniciar um namoro com objetivo do casamento, ele pediu a benção dos meus pais e voltou para o Rio de Janeiro. No meio do ano noivamos e no inicio de 2015 nos casamos”, diz Thainá.

Como experiências desse tempo fora do Brasil, o casal tem muitas histórias. Eles relatam que na Albânia, país com grande influência islâmica, foram visitar algumas igrejas e outros locais onde trabalhariam. Ali uma mulher convidou a equipe para tomar café em sua casa – segundo eles, na Albânia quando alguém o chama para sua casa é uma grande honra. Sendo assim, aceitaram o que enxergaram como uma oportunidade, sem saber exatamente o que esperava por eles. Foi então que a “dona Diana” começou a compartilhar um pouco de sua vida aos 15 voluntários, “bem emocionada ela contou que sentia saudade de seus pais e de seu filho que estava estudando em outro país, então ela aceitou ouvir a nossa opinião enquanto cristãos, ministramos o plano de salvação com o recurso da pulseira com as cores do livro sem palavras e o amor de Deus se manifestou naquele lugar, ela aceitou a Cristo e tivemos a oportunidade de cantar (‘Deus te ama e eu te amo e assim devemos viver..’) e orar por ela em nossa língua, e ainda a presenteamos com uma Bíblia em albanês”, conta o casal.

10353721_693681647391033_253186855518213886_nSegundo Roberto, na Albânia o grupo teve dificuldade em falar às crianças sobre Jesus, “elas diziam que não poderiam aceitá-Lo porque eram muçuImanas”, diz. Assim, Roberto relata que foi por meio do esporte e do toque do Espírito Santo que ele usou como estratégia pedir que os meninos lessem para ele um folheto em albanês, com o pretexto de ensiná-lo a língua deles. “Assim, o Senhor fez com que os meninos lessem a Palavra dEele, esse é o poder do Nosso Senhor quando quer nos usar como ferramenta para a glória de Teu Reino”, complementa.

Como estímulo aos que têm chamado missionário, Thainá e Roberto deixam a seguinte mensagem:
Persevere, honre, ame, obedeça e tema a Cristo de todo o seu coração, só assim você terá a ousadia de sair do seu país para servir ao Senhor longe de sua família, igreja e amigos. O que nos segura no campo missionário não é o amor pelo país ou pelo povo, é o amor e a fé que temos no Deus que nos amou primeiro e morreu em nosso favor.” E com respeito aos que são chamados para fazer missões onde estão, em suas próprias cidades, eles aconselham:

11072720_10153179071344726_6929456613293762590_nSeja luz, não deixe a rotina, o comodismo e as mazelas deste mundo influenciar suas atitudes, seja canal de bênçãos nas mãos do Senhor. Admiramos muito os que ficam e são corajosos, não se envergonham do evangelho. Pela graça do Senhor temos presenciado muitos cristãos sendo luz neste mundo caído.”

Hoje, Thainá e Roberto estão em São Paulo – SP. Thainá trabalha com ensino, evangelismo e discipulado para surdos e Roberto trabalha com apoio aos refugiados e estuda Teologia. O casal define o chamado da família deles com o versículo 6 do capítulo 11 de Hebreus:
Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam”.

Pedidos de Oração:

– Nossa adaptação como casal (nos casamos há 3 meses)

– Pela adaptação e emprego para o Roberto em São Paulo

– Por recursos para pagar o Seminário

– Por direção ministerial aqui em SP, queremos nos engajar mais na questão dos refugiados, orem para que nossa igreja nos apoie.

Novos Desafios

– Aprimoramento do inglês na forma que Deus desejar, já que nossa pretensão é sair do Brasil daqui uns 2 anos, após Roberto e eu terminarmos os estudos de teologia, conforme for a vontade do Senhor.

10522590_693681394057725_578781159383151435_n